sábado, 30 de maio de 2009

Quero Falar de uma coisa....AMIZADE... Feliz Aniversário



video

Queremos falar de AMOR. Feliz Aniversário..........

Ciane,
Seja sempre essa pessoa Maravilhosa......
video

Queros dizer que amamos você e que cada aniversário é um novo começo.


Ciane,


És uma pessoa linda que Deus colocou em nossas vidas,Tua aura é divina... Amiga querida...Alguém cujo coração é enorme e demonstra carinho a todos que nele está...Teu carisma, Tua amizade, Teu carinho...Ah minha doce amiga... És um anjo!!Sua amizade para nós é uma benção...
Queremos dizer que amamos você e que cada aniversário é um novo começo.
Desejamos que a cada dia a vida te traga acontecimentos novos e maravilhosos que possam te fazer feliz de verdade.

Alguém que se importa e compreende....Feliz Aniversário

Ciane,

Ao abrir tua janela, sentirás o abraço do vento, e com certeza, em algum lugar, as flores vão sorrir para você.
Que linda é a vida, e, para que melhor do que nós mesmas sabermos o quanto é importante viver e fazer parte da vida de alguém.
Alguém que se importa e compreende, alguém com quem voce pode contar sempre pois tem um coração amoroso e generoso, capaz de valorizar a si mesmo e aos outros.

Que Jeová Deus te abençoe....com muita paz saúde e alegria

Que DEUS te abençoe minha querida, com paz, saúde e alegria; e, mesmo nos momentos mais difíceis e inevitáveis, você possa contar com Deus Jeová que é o verdadeiro amigo de todas as horas, e se os degraus da vida tiverem difíceis de subir, segura na mão dele que com certeza, encontrarás forças necessárias para prosseguir.

O Social do Lourival - Aniversário da Diretora Luciane

Ciane - Feliz Aniversário!!!!!!

Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano. Desejamos a você, um ano cheio de amor e de alegrias. Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas. Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes. Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus. É ser grato, reconhecido, forte, destemido. É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo; Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

(Família EMLOS)










Ciane, você é uma pessoa maravilhosa e abençoada por Jesus Cristo




Desejamo-lhes muitas felicidades e sucesso em todos os dias de sua vida.







Momento Social da Familia EMLOS

Esta é uma parte da turma do Lourival Oliveira Soares - Comemorando Aniversário da Diretora Luciane, na Churrascaria pertinho da Nestle Tudo azul no bom sentido, mas a galera está adotando o "roxo" como podemos ver na presença de Marta, Monique e Elenarte e nosso colega Tiago de azul: amigo da escola.
A nossa colega Fátima - vermelho, Vice-diretora Iracema - verde. Neivaldo o unico homem na foto. rsrsrsrs

Clelia Eugênia dando uma de executiva, Dieginis toda sorridente entre a vice-diretora e a diretora.
A nossa Aniversariante com um buque de rosas.


Ei gente cadê os homens dessa escola, vocês enviaram para a cozinha. Estas mulheres estão com tudo.









sábado, 23 de maio de 2009

PEGADAS NA A R E I A



PEGADAS NA AREIA
Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor,
E através do Céu, passavam cenas de minha vida.
Para cada cena que passava, percebi pegadas na areia;
Uma era minha e a outra do Senhor.
Quando a última cena de minha vida passou diante de nós,olhei para as pegadas na areia,
Notei que muitas vezes no caminho da minha vida havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis da minha vida.
Isso aborreceu-me deveras e perguntei então ao Senhor:
- Senhor, Tu me disseste que,uma vez que eu resolvi
Te seguir,
Tu andarias sempre comigo, todo o caminho,
- Mas notei que nos momentos das maiores atribulações do meu viver havia na areia dos caminhos da vida, apenas um par de pegadas.
- Não compreendo...Porque nas horas em que eu mais necessitava Tu me deixastes?
O Senhor respondeu :
- Meu precioso filho,
Eu te amo e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do teu sofrimento.
Quando vistes na areia apenas um par de pegadas,
foi exatamente aí que
EU TE CARREGUEI EM MEUS BRAÇOS!

A Escola é um Espaço Concreto de Promoção do sSERr e do cConvVivVer



A administração da Escola Lourival Oliveira Soares acredita no princípio de uma gestão democrática e participativa, onde prevalece uma relação dialógica entre a comunidade escolar e local. Sempre levou em conta as questões coletivas que influenciam positivamente na qualidade do processo ensino-aprendizagem.








No Lourival Oliveira Soares as reuniões de pais acontece trimestralmente conforme a proposta do Projeto Político Pedagógico e dos Ciclos. Estas reuniões são momentos importantes na escola onde professores, direção e pais trocam informações essenciais referentes ao educando.





As reuniões com os pais dos alunos são ocasiões que a equipe diretiva e os professores devem aproveitar para analisar os avanços e os problemas que a escola está encontrando para aproximar o planejado e o efetivado, elas são instâncias propícias para socializar, analisar e refletir o projeto escolar, que já deve ter sido construído coletivamente, e já ser de conhecimento dos pais, além de se prestarem para resolver os mesmo em parceria e co-responsabilidade com instituição na efetivação do planejado. (Adelar Hengemuhle, 2004: 179/180)


Quando pais não comparecem, a escola renova o convite especifico e direcionado a estes, convocando-os para uma reunião com o Conselho Tutelar, coordenador e direção.







“A escola é um espaço concreto de promoção do ser e do conviver e do desenvolvimento das capacidades do conhecer e fazer”. (Adelar Hengemuhle, 2004: 169)








A Avalação da Escola Grapiúna

A avaliação do Lourival Oliveira Soares é a avaliação da Escola Grapiúna, pois ela ganha o sentido de processo contínuo e formativo, que funciona como diagnóstico para o professor e para o aluno, e que orienta novos encaminhamentos para o processo ensino/aprendizagem.
Por isso, nos ciclos e classes de integração é preciso acompanhar os alunos em suas tarefas cotidianas, acompanhar sua participação durante as aulas, o seu compromisso com o trabalho, seu interesse e assiduidade, apontar no percurso as dificuldades e avanços ocorridos, as continuidades na aprendizagem e desenvolvimento.

A avaliação pode ser um momento de construção de conhecimento, como sugere Vasco Moretto, e não servir como “pega-ratão”. Ou ainda, para encobrir a incompetência do professor que, por não conseguir “dominar” a turma, no dia seguinte, faz uma prova surpresa, perguntando aquilo que ele, professor, sabe que os alunos não sabem e, o que é pior, muitas vezes, se não tivesse as respostas em seu livro ou apostila, também ele, professor, não conseguiria responder às perguntas feitas. (Adelar Hengemühle, 2004: 117/118)

Nessa perspectiva, os registros do processo de avaliação da Escola Grapiúna – Lourival Oliveira Soares tornam-se importantes instrumentos de acompanhamento, desenvolvimento do aluno e do trabalho pedagógico. Nesses registros não constarão notas ou conceitos, mas à análise descritiva do processo de aquisição do conhecimento de cada aluno e das intervenções implementado pelo professor.

Este processo acontece trimestralmente onde avalia-se o desempenho de cada “ator” do processo pedagógico que consta também de auto-avaliação e avaliação coletiva dos trabalhos de todos os integrantes da equipe administrativa pedagógica.

A avaliação, além de ser coerente com o processo e transformar-se em um momento de construção para o aluno, deve ter um sentido também para o professor. Um dos sentidos que a mesma proporciona ao professor é servir como indicativo dos avanços e limitações dos alunos, levando-o a replanejar e ressignificar a sua prática pedagógica. (Adelar Hengemuhle, 2004: 118).

O sucesso na avaliação consiste em detectar onde estão as deficiências e dificuldades para promover a estratégia de superá-las em tempo. A avaliação dever ser constante, sistemática, dia-após-dia em cada aula.

Na Escola Lourival Oliveira Soares este processo acontece com freqüência em todas as disciplinas. Cada professor tem suas anotações sobre o desenvolvimento do seu aluno, as dificuldades, levando-as para as discussões no AC – Atividade Complementar e traçando estratégias coletivamente.

Tive a oportunidade de observar este processo e cito como exemplo: o professor de matemática detectou que o aluno continuava apresentando dificuldade em interpretar problemas pelo fato de não ter uma leitura disciplinada, então ficou decidido que este aluno seria encaminhado para o PAD para obter uma acessória de outro profissional enquanto que cada professor em sua disciplina iria desenvolver trabalhos paralelos para sanar esta dificuldade.



“A escola é um espaço concreto de promoção do ser e do conviver e do desenvolvimento das capacidades do conhecer e fazer”. (Adelar Hengemuhle, 2004: 169)

O ato de planejar envolve as mais simples situações na vida do ser humano.
Na escola é importante planejar coletivamente para a tomada das decisões necessária no âmbito educacional.

A Escola Lourival Oliveira Soares tem seu planejamento fundamentado e organizado de acordo com as leis vigentes e a proposta do Ciclo.

Segundo Libâneo e Fusari:
É uma tarefa docente que inclui tanto a previsão das atividades didáticas em termos da sua organização e coordenação em face dos objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensino. É um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social”. (LIBÂNEO apud PADILHA, 2002: 33)


O planejamento da educação escolar pode ser concedido como processo que envolve a prática docente no cotidiano escolar, durante todo o ano letivo, onde o trabalho de formação do aluno, através do currículo escolar, será priorizado. Assim, o planejamento envolve a fase anterior do inicio das aulas, o durante e o depois, significando o exercício contínuo da ação-reflexão-ação, o que caracteriza o ser educador. (FUSARI apud PADILHA, 2002: 34).




O papel do nosso professor é o de usar a perspectiva de como se dá a aprendizagem, para que, usando a ferramenta dos conteúdos postos pelo ambiente e pelo meio social, estimule as diferentes inteligências de seus alunos e os leve a se tornarem aptos a resolver problemas ou, quem sabe, criar produtos válidos para seu tempo e sua cultura. (Adelar apud Celso Antunes; 1998: 98).

Saberes são Construídos Progressivamente




Entendendo que os saberes são construídos progressivamente onde todos os sujeitos são capazes de desenvolver sua inteligência, se assim forem respeitadas suas especificidades, tem como prioridade possibilitar o avanço desses sujeitos em qualquer fase da vida.
Para tanto, alguns mecanismos de intervenção no processo apresentam-se como necessários.
Plano de Acompanhamento Didático – PAD é um acompanhamento com intervenção específica para os alunos que não conseguiram desenvolver as aprendizagens colocadas para o ciclo ou fase do ciclo em que eles se encontram.



Os alunos têm três anos para concluir cada fase/ciclo, progredindo ininterruptamente em suas fases. Ao final de cada ciclo, os alunos serão encaminhados para o Ciclo seguinte com ou sem o PAD – Plano de Acompanhamento Didático ou para uma CIR – Classe de Integração e Recursos, caso não tenha conseguido alcançar as aprendizagens necessárias à comunidade dos estudos nos outros Ciclos/Fases. Não a retenção de alunos de uma fase para outra.




A professora Eliane Batista, com formação em Biologia e especialização em Educação Ambiental, atuou na escola no Projeto Laboratório de Aprendizagem, (em desenvolvimento) com o PAD – Plano de Acompanhamento Didático que atende alunos com dificuldades no que se refere à aprendizagem. Essas dificuldades são relacionadas a escrita e a leitura.
Em 2008, organizou-se para atender 40 alunos, organizados em turmas de 10 alunos que foram atendidos duas vezes por semana. Esses alunos eram do turno oposto – alunos do CAD.

A cada três meses era feito uma avaliação para verificar se o aluno estava apto a ser liberado do projeto, ou seja, se as dificuldades encontradas foram sanadas ou diminuídas.

Dentro dessas dificuldades trabalha-se com vários recursos como aplicação de textos, narrativos, poema, poesias; confecção de gibi; teatro de fantoche; bingo de palavras e assuntos matemáticos como operações, números pares, múltiplo, etc; aplicação de jogos didáticos.

Antes dos trabalhos é feito uma leitura comentada que enriquece a produção do conhecimento. As atividades resolvidas e produções dos alunos são arquivadas em portifólio, por aluno para dar um respaldo legal na avaliação e desenvolvimento do conhecimento.

Este ano a proposta/projeto deve continuar com algumas adaptações.

O Esporte bem como as Práticas de Atividades Físicas

O esporte bem como as práticas de atividades físicas é fundamental para a formação do ser humano, pois representa transformação.
Segundo a professora de educação física da escola a prática de esporte trás benefícios para a saúde, nos ensina a importância do trabalho em equipe, aumenta nossa auto-estima, fortalece nossa capacidade de ação, melhora o rendimento nas outras disciplinas, como também favorece um trabalho bio-psico-social.



















A construção das quadras do Lourival Oliveira Soares veio possibilitar que os alunos tenham melhores condições para a prática esportiva e recreativa. As mesmas vão dar uma maior integração entre a escola e a comunidade, além dos projetos interdisciplinares voltados para a comunidade.
Nos dias atuais é inadmissível que nas escolas não possuam um espaço adequado para as aulas práticas de educação física, quando se fala insistentemente na busca pela qualidade de vida.


Apesar de a Educação Física no âmbito da escola já possuir um ordenamento legal detalhado na atual LDBEN – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, muitos membros da comunidade escolar desconhecem a atual condição de obrigatoriedade da Educação Física na escola. [...] a legitimação da Educação Física na escola depende diretamente de sua relação com a comunidade escolar [...] a LDBEN (Lei nº. 9.394/96), no Artigo 26, § 3º dispõe:
A educação física, integrada á proposta pedagógica da escola, é componente curricular da Educação Básica, ajustando-se às faixas etárias e às condições da população escolar, sendo facultativa nos cursos noturnos. (LCT / SEB – MEC / 2006: 214).

O Pátio da E.M.L.O.S







O Lourival dispõe de um pátio bastante amplo no pavimento 2 e nos pavimentos 1 e 3 contém também espaços livres para os alunos movimentarem-se. É considerado um local adequado para a realização de atividades extraclasse e para recreação.






Para tanto, Piletti diz que:
Pátio coberto é uma necessidade, especialmente nos dias de chuva (...). Após um período de aula em que são obrigados a ficar parados, os alunos precisam se movimentar. Uma escola que não disponha de amplos pátios de recreio, cobertos e livres, certamente não alcançará de forma satisfatória seus objetivos educativos. (Piletti, 1996: p. 130).

A Biblioteca da EMLOS

Faça uma visita e conheça nosso acervo





A Biblioteca Escolar deveria tornar-se “o coração da escola”, um centro dinâmico, que atuando em consonância com a sala de aula participaria em todos os níveis e momentos do processo de desenvolvimento curricular, composto de um acervo de material de ensino e de leitura diversificado.
Observe-se que a UNESCO colocou a Biblioteca Escolar entre os objetivos prioritários de sua atuação em favor das bibliotecas. “É preciso criar um ambiente favorável à leitura para se conseguir uma sociedade consciente dos benefícios que lhe podem advir da leitura e no qual os livros estejam ao alcance de todos”. (ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas, 1982).

A biblioteca possui um acervo com enciclopédia, livros didáticos, paradidáticos, revistas, dicionário de português, mapas humanos e geográficos. O acesso do aluno se dá através de pesquisas direcionadas pelos professores da escola em turno oposto e cliente da comunidade – estudantes que freqüentam o Ensino Médio na cidade. É costume o professor requisitar os livros para a sala de aula e depois devolve quando conclui o horário. O acervo da biblioteca é muito pequeno e restrito, precisando ser ampliado devido a necessidade da clientela escolar e local. Os mapas são muito requisitados nas aulas práticas dos professores de ciências e geografia. Existe dicionários da língua estrangeira - a escola tem em sua matriz curricular duas línguas (espanhol e inglês).

As Salas de Aula da EMLOS







Segundo Libâneo (2004) “a sala de aula é, podemos dizer um espaço privilegiado da educação formal, e precisa cada vez mais possibilitar experiências de aprendizagem”.
As salas de aula são arejadas, com janelas em altura ideal, as quais possibilitam uma boa ventilação. Alem disso, todas possuem ventiladores de teto. Todas as salas têm um tamanho padrão e são amplas, contendo mesa e cadeira para cada aluno, porém necessitando de uma reforma.

Minha, Nossa Escola Lourival Oliveira Soares - EMLOS

Apresentação


Toda a instituição existe por ter uma razão de existir. Embora a escola seja instituída pela sociedade, através de órgãos públicos e privados, ela só terá razão de existir se, estiver sensibilizada sobre a sua importância e lhe der um sentido. Ademais, não há possibilidade de falarmos em instituição eficaz, se alem do sentido: não houver um projeto coletivo, para orientar as ações das pessoas que estão direta ou indiretamente ligadas a ela; não houver esforço, no seu interior, para efetivar esse projeto na prática; e não houver a possibilidade de a comunidade interna e externa da escola perceber, através de reavaliações, que há esforço para diminuir a distância entre a teoria (projeto) e a prática. (Adelar Hengemuhle, 2004: 176).

Em Itabuna-BA cada escola da rede municipal é intitulada como: ESCOLA GRAPIÚNA: “lugar de todos nós”, tem uma concepção a crença de que todas as pessoas são sujeito de direitos e que, na garantia destes direitos, é possível a construção de um mundo melhor, de uma sociedade mais democrática, mais justa e mais solidária.
Segundo Adelar Hengemuhle, “a escola é um espaço concreto de promoção do ser e do conviver e do desenvolvimento das capacidades do conhecer e fazer. Tudo orientado e fundamentado pelo projeto pedagógico”. (2004: 169).
A Escola Municipal Lourival Oliveira Soares, situa-se a Rua dos Bandeirantes s/n, localizada em um bairro histórico – Ferradas, “Berço” de Itabuna, possui estrutura de uma escola moderna e aplicação do ensino em um Sistema de Ciclo de Formação Humana compatível com a idade e nível de desenvolvimento do aluno.
Com o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre a realidade da escola Grapiúna, será abordado todo aspecto físico, humano e pedagógico desta escola.
O Bairro Ferradas, berço da civilização do cacau, fica localizado a seis quilômetros do centro de Itabuna, tem acesso fácil, via BR-415, com linha de ônibus regular para o centro da cidade.
A escola situa-se nesse Bairro histórico – Ferradas – “... guarda para a eternidade dos tempos, a marca gloriosa de ter sido o capítulo primeiro da civilização Itabunenses”. Adelino Kifouy Silveira.
Bairro distante da zona comercial da cidade possui pequenos mercados, um posto de saúde, algumas padarias, uma farmácia, vários bares, uma igreja católica, uma adventista, uma Assembléia de Deus e alguns terreiros de candomblé, um cemitério, uma fábrica de café Lavoura, uma fábrica de nescau, mais duas escolas municipais que atende a educação infantil e o primeiro segmento do Ensino Fundamental.
A comunidade local na sua maioria constitui-se de pessoas com baixo poder aquisitivo que enfrentam inúmeras dificuldades relacionadas a falta de condições básicas de sobrevivência, como: moradia, alimentação, vestuário, trabalho, remédios e assistência médico-hospitalar. O bairro ainda necessita de saneamento básico.
A Escola Municipal Lourival Oliveira Soares, pública tem linhas arquitetônicas modernas e harmoniosas, possui três pavimentos. Foi inaugurada no dia 27 de julho de 1997, e passou a atender não só a comunidade de Ferradas, mas também aos moradores de Nova Ferradas, Roça do Povo, URBIS IV, Rua de Palha, Fernando Gomes (bairros vizinhos). Atende também ao distrito de Itamaracá e aos moradores de fazendas circunvizinhas. Ela funciona em três turnos, atendendo no matutino e vespertino aluno do CAD, CIR II e CIR III e no turno noturno atende a alunos do PROEJA II, Estágios I, II e III.
Atualmente a escola conta com um total de 1.543 (um mil quinhentos e quarenta e três alunos) devidamente matriculados, conforme dados do Censo escolar.
Nesta escola é desenvolvido o CAD – Ciclo da Adolescência, que corresponde a 2ª etapa do Ensino Fundamental (5ª a 8ª série); CIR – Classes de Integração e Recursos, que são formados por alunos na distorção idade-série e que deveriam permanecer no máximo dois anos antes de ir para o Ensino Médio, este ano está em fase conclusiva; PROEJA – Programa de Educação de Jovens e Adultos e PAD – Programa de Acompanhamento Didático, que ajuda a sanar as dificuldades dos alunos.
A escola é bem equipada, pois possui computadores, impressoras, freezer, geladeiras, vídeos, DVD, aparelho de som, retro projetor, telão, três televisores, mesa de pig-pong, laboratório de ciências e laboratório de informática.
A Escola Municipal Lourival Oliveira Soares, com X metros quadrados construída e Y metros quadrados em área livre. Ninguém na comunidade escolar soube informar a metragem real da escola. Sei que é grande, contendo bastante espaço e em termos de área livre também é muito grande. Depois que foi construída as duas quadras no ano de 2007, ainda sobrou muito espaço. Possui três pavimentos sendo que no pavimento 1 situam-se as salas destinadas ao setor administrativo (direção, vice-direção, secretaria), quatro salas de aula, sala dos professores, biblioteca, almoxarifado e sanitários dos professores. No pavimento 2, situa-se laboratório de ciências, cozinha, pátio coberto, um banheiro masculino e outro feminino para alunos (ambos com várias divisões internas). No pavimento 3, há sete salas de aula, laboratório de informática, sala (antiga Radio Comunitária) e sala do PAD (antiga sala da coordenação). No pavimento 3, há uma rampa que dá acesso a cobertura – indicador de que há possibilidade de se construir o pavimento 4. Hoje conta com uma quadra poli esportiva e uma quadra de areia.
“A escola é um espaço concreto de promoção do ser e do conviver e do desenvolvimento das capacidades do conhecer e fazer”. (Adelar Hengemuhle, 2004: 169)
A escola citada é uma instituição pública municipal, mantida pela Secretaria da Educação do Município, em cumprimento às bases legais estabelecidas pela nova LDBEN (Lei 9.394/96), que em seu título III, Artigo 4º – do Direito à Educação e de Dever de Educar, estabelece: “o dever do Estado com educação escolar pública será efetivada mediante a garantia de: I – ensino fundamental obrigatório, inclusive para os que a ela não tiverem acesso na idade escolar”.
Recebe os recursos para sua manutenção através dos programas de FAED – Fundo de Assistência Educacional, que segundo a diretora da escola, Luciane Maria do Nascimento, o mesmo não tem fixado o período de repasse dessa verba, às vezes de três em três meses; o que às vezes atrapalha o andamento das atividades da instituição. Recebe ainda, recursos do PDDE – Programa de Dinheiro Direto na escola, o Caixa Escolar e também do PNAE – Programa de Alimentação Escolar. Sendo importante esclarecer, que estes repasses é de acordo com o número de alunos matriculados e está em conformidade com a nova LDBEN (Lei 9.394/96).
Nesta instituição de ensino, há distribuição de merenda escolar, a qual é assegurada graças aos repasses mensal do PNAE – citado acima. A compra dos gêneros alimentícios é feita através de licitação e cotação. Cabendo à escola prestar conta de todos os procedimentos utilizados na compra dos gêneros.